[Atualizado em 2008-11-16.]

Em meu artigo Líderes em inteligência de negócios (BI), de 23 de novembro passado, havia o quadrante mágico do Garner para plataformas de inteligência de negócios (business intelligence, BI) de janeiro de 2007, entre outras fontes de análise desse mercado.

Passado um ano, o Gartner divulgou em fevereiro de 2008 o seu relatório atualizado Magic Quadrant for Business Intelligence Platforms, 2008, por seus analistas James Richardson, Kurt Schlegel, Bill Hostmann, Neil McMurchy. Reprints estão disponíveis por Faktos (PDF), Microstrategy (PDF, requer registro gratuito), Microsoft/press, Oracle, Cognos/press/mídia (IBM), Business Objects/press (SAP), SAS/press.

Fonte: Magic Quadrant for Business Intelligence Platforms, 2008, Gartner, 1º fevereiro 2008. Líderes: Microsoft, Cognos, BO, Oracle, SAS e MicroStrategy.

A Microsoft, que em minha resenha no final do ano passado demonstrava estar perdendo força no mercado do BI em relação a 2006, se recupera e aparece no quadrante 2008 como líder e no topo do eixo “habilidade de executar”.

A Oracle, que vêm se esforçando para integrar os produtos Hyperion na linha Oracle BI, aparece agora em um único ponto, pouco acima das posições individuais de Oracle e Hyperion em 2007 antes da fusão das empresas. A Cognos, agora uma empresa IBM mas mantendo sua identidade institucional original, também subiu um pouquinho.

Business Objects (BO) — agora uma empresa SAP, mas esta última ainda aparece com ponto de presença distinto no mercado em 2008 — e SAS permaneceram estáveis em seu posicionamento no quadrante da liderança.

E a MicroStrategy evoluiu um pouco o suficiente para cruzar a fronteira do quadrante de visionária e passar a líder, embora ainda atrás das demais cinco líderes.

Compare com os quadrantes mágicos em 2007:

Fonte: Magic Quadrant for Business Intelligence Platforms, 1Q07 (divulgado por: Cognos, SAS (artigo 2) e Oracle), Gartner, 26 janeiro 2007. Líderes: BO, Cognos, SAS, Oracle e Hyperion.

O instituto Forrester, em 2008, também passou a oferecer o seu gráfico de avaliação Forrester Wave para plataformas corporativas de BI. Em seu relatório The Forrester Wave™: Enterprise Business Intelligence Platforms, Q3 2008, por Boris Evelson e outros, 2008-07-31, os três grandes fornecedores que realizaram aquisições já aparecem consolidados: IBM Cognos, SAP Business Objects e Oracle (que adquiriu a Hyperion). Reprints do relatório (PDF) foram disponibilizados por SAP Business Objects/press, IBM Cognos/Ciberia press [pt], Oracle/press e SAS institute/press.

Eis uma tradução livre (e grifos meus) que fiz da primeira parte do Resumo Executivo do relatório:

Na avaliação de 151 critérios para fornecedores de plataforma corporativa de inteligência de negócios (BI), concluímos que IBM Cognos e SAP Business Objects mantêm suas posições de liderança, enquanto Oracle e SAS Institute se moveram para posições de liderança em BI corporativo graças à riqueza de suas funcionalidades, habilidade para escala, e a completude de suas visão e estratégia corporativa e de produto. Actuate, Information Builders, Microsoft, MicroStrategy, SAP, e um novo participante, TIBCO Spotfire, surgem como Strong Performers seguindo de muito perto a trilha dos Líderes, oferecendo alternativas bastante respeitáveis e uma multitude de opções para profissionais de gerenciamento de informação e conhecimento (I&KM).

Fonte: The Forrester Wave™: Enterprise Business Intelligence Platforms, Q3 2008, Forrester, 31 de julho 2008, por Boris Evelson e outros. Líderes: SAP Business Objects, IBM Cognos, SAS e Oracle. Fortes concorrentes: Information Builders, MicroStrategy e Microsoft bem perto, Actuate e TIBCO Spotfire um pouco depois.

Estes resultados do Forrester foram bem similares aos do Gartner, para 2008.

O relatório do Forrester ainda apresenta uma visão atual do conceito de BI. Forrester define BI como um conjunto de metodologias, processos, arquiteturas e tecnologias que transformam dados brutos em informação representativa e útil, usada para permitir insights e tomadas de decisão mais efetivas nos níveis estratégico, tático e operacional. E apresenta uma vasta pilha arquitetural de componentes de BI, que vai muito além do ultrapassado conceito de apenas “relatórios e análises”:

Fonte: The Forrester Wave™: Enterprise Business Intelligence Platforms, Q3 2008, Forrester, 31 de julho 2008, por Boris Evelson e outros.

Já na taxonomia do IDC, as ferramentas de BI são parte de um mercado ainda mais amplo, que tal instituto chama de Business Analytics, conforme o diagrama de Taxonomia do IDC para Software de Análise de Negócio:

Fonte: Worldwide Business Intelligence Tools 2007 Vendor Shares, IDC, junho 2008, extrato divulgado por SAS Institute.

Grandes empresas produtoras/fornecedoras de soluções em BI mantêm seção em seu portal onde divulgam relatórios de empresas independentes especializadas em tendências e análises do mercado de TI, na maioria das vezes oferecendo acesso gratuito a uma cópia da íntegra dos relatórios em questão:

Antes que alguém questione: Creio que sim, as empresas de análise podem ser tendenciosas, apesar de independentes. Dependendo dos aspectos de enfoque, momento, critérios e condições da avaliação, resultados podem diferir quanto a quem e quanto estão entre as lideranças de mercado. Mas ainda assim, institutos de pesquisa como Gartner, Forrester, IDC e outros têm renome e suas análises servem de referência ou, pelo menos, de termômetro e tendência de mercado.

Para saber mais sobre análises de mercado produzidas por institutos de pesquisa: