Mercado de ECM 2009

Finalmente! Esperava pela atualização das análises do mercado de ECM pelos principais institutos, desde a aquisição da Vignette pela Open Text, e foram publicados o Quadrante Mágico do Gartner, e o Forrester Wave, para 2009.

No que os dois relatórios 2009 tem consenso: EMC, IBM, Oracle e Open Text mantém forte liderança nesse mercado.

No que divergem: Para o Forrester, Microsoft avança e ganha momento mas tem diversas lacunas de funcionalidade, se posicionando apenas como forte competidor. Além disso, por seus critérios Hyland e HP são alternativas competitivas no nicho de conteúdo transacional e de negócios, sendo competentes em document management, imaging and capture, e records management; mas ficam devendo forte suporte em áreas como Web (WCM), document output management e digital asset management. E o open source Alfresco, embora mais atrás, tem aumentado sua amplitude na cobertura de ECM para desafiar os players proprietários como alternativa de baixo custo.

Já no critério do Gartner, Microsoft se posiciona tão líder quanto os outros quatro grandes, e Hyland (OnBase) e Autonomy (que adquiriu a Interwoven em março 2009) são respectivamente um desafiante e um visionário muito próximos de adentrarem o quadrante líder.

Fonte: Forrester, The Forrester Wave™: Enterprise Content Management Suites, Q4 2009 [PDF] (outro endereço); 2009-11-12; por Stephen Powers, Brian W. Hill, and Craig Le Clair; para profissionais de Information & Knowledge Management; reproduzido por Oracle.

Fonte: Gartner, Quadrante Mágico para Enterprise Content Management, 2009 [PDF]; 2009-10-15; por Toby Bell, Karen M. Shegda, Mark R. Gilbert, Kenneth Chin, Mick MacComascaigh; reproduzido por EMC, também por Oracle e por Microsoft.

Veja também o relatório do instituto Datamonitor Documents and Records Management: An Analysis of Market Trends to 2013 (Strategic Focus), fevereiro 2009, em Scribd.

Records Management / Gestão Arquivística Documental

No meio do ano o Forrester já publicara uma análise específica sobre os fornecedores de soluções em Records Management (RM), que em português podemos chamar de Gestão Arquivística de Documentos (GAD). GAD/RM é um dos componentes do universo de ECM.

De acordo como normas como o padrão internacional ISO 15489:2001 – Information and documentation — Records management Part 1: General e Part 2: Guidelines (originário do Padrão Australiano – AS), assim como normas e legislação do Brasil, os documentos arquivísticos são a informação registrada, produzida e recebida no decorrer das atividades de um órgão, entidade ou pessoa, dotada de organicidade e que sirva de prova dessas atividades. Os documentos e arquivos podem ser públicos (relativos ao poder, órgãos, agentes, empresas e serviços públicos) ou privados.

E a gestão arquivística consiste nos procedimentos referentes à produção, tramitação, uso, avaliação e arquivamento destes documentos em fase corrente e intermediária, visando a sua eliminação ou recolhimento para guarda permanente. (Resolução nº 20 Conarq, Art. 1º) Um elemento essencial para a gestão arquivística é a manutenção e aplicação de uma tabela de classificação (por assunto), temporalidade e destinação (ciclo de vida) de documentos.

Os quatro grandes de ECM também se posicionam na liderança desse segmento, mas existem outros dois líderes até mais fortes que os demais quando o foco é RM/GAD: Computer Associates (CA) e Autonomy (baseada na aquisição da Meridio em 2007).

Fonte: Forrester, The Forrester Wave™: Records Management, Q2 2009 [PDF]; 2009-06-23; por Brian W. Hill; para profissionais de Information & Knowledge Management; reproduzido por Oracle.

A área de Records Management nos Estados Unidos é muito direcionada em torno dos padrões de conformidade exigidos pelo Departamento de Defesa Americano (DoD). Mas os fornecedores de GAD também tem buscado certificação aderente aos dois mais proeminentes modelos mundiais: o Victorian Electronic Records Strategy (VERS) do Governo Australiano, e o MoReq2 – Model Requirements for the management of electronic records Europeu.


O MoReq2 é originário do modelo inglês MoReq. Estes modelos foram a base de referência para o padrão brasileiro e-ARQ Brasil [PDF] do CONARQ – Conselho Nacional de Arquivos, bem como o recente MoReq-Jus – Modelo de Requisitos para Sistemas Informatizados de Gestão de Processos e Documentos do Poder Judiciário do CNJ – Conselho Nacional de Justiça.

Para saber mais:

9 Replies to “Mercado de ECM 2009”

  1. @Rodrigo: Não.
    O segmento de mercado considerado nestes relatórios de análise citados foca fornecedores de suítes/ferramentas de software para Gerenciamento de Conteúdo Corporativo (ECM).

    O Google Search Appliance, assim como o Infogrid ECM appliance, são soluções de hardware, e portanto não se enquadram nas análises.

    Como informação complementar, sugiro o artigo “Ingres, Alfresco and an ECM appliance”, por Alan Pelz-Sharpe, Analista da CMS Watch, 2009-02-25.
    http://www.cmswatch.com/Trends/1515-Ingres,-Alfresco-and-an-ECM-appliance

  2. Márcio, uma pergunta, a nomenclatura “Gestão Arquivística Documental” já está estabilizada como o jargão para “Records Management” ?
    Quase sempre escuto menção à “Gestão de Registros” ou “Gestão de Registros Documentais” mas nunca GAD!

    RM é sem dúvida uma área que ainda carece de conscientização e percepção de valor no mercado brasileiro e muito provavelmente virá como uma onda adicional ao crescimento do ECM.
    Abraços e parabéns pelo blog,
    Roberto Stelling

  3. @Roberto Stelling: Obrigado pela participação e pelo apoio!

    Não estou certo se a correspondência do termo Gestão Arquivística Documental (ou Gestão Arquivística de Documentos) a Records Management está amplamente estabelecida como jargão. Adoto essa interpretação, mas creio que faz muito sentido.

    Records Management é um termo em inglês muito bem estabelecido no mercado internacional, inclusive em análises de institutos de pesquisa. O Datamonitor fala em Documents and Records Management. A norma internacional ISO 15489 (ver apresentação na 3ª referência em “Para saber mais”) define precisamente o significado de Records Management.

    Por outro lado, Gestão Arquivística Documental é outro termo muito bem estabelecido em arquivologia. Observe neste artigo as definições de documento arquivístico e de gestão arquivística pelo Conarq (Resolução nº 20, Art. 1º).

    Records pode ser literalmente traduzido como “registros”, e a definição de documento arquivístico pelo Conarq diz “informação registrada”. Comparando tudo, concluí que as definições dos dois termos expressam o mesmo significado, e se encaixam bem no entendimento do mercado.

    Já vi outras referências em português que fazem associação similar entre estes termos em inglês e português, e espero que outros concordem com a minha interpretação.

  4. O artigo “Metadados para o gerenciamento eletrônico de documentos de caráter arquivístico – GED/A: estudo comparativo de modelos e formulação de uma proposta preliminar”, por Katia P. Thomaz e Vilma Moreira dos Santos, publicado na revista DataGramaZero em agosto de 2003, traduz records management como “gestão de documentos de arquivo”.

    Já o artigo “Sistema Eletrônico de Gestão Arquivística de Documentos: a experiência da UNICAMP com processos”, por Neire do Róssio Martins e Rozineide Aparecida de Oliveira, publicado em Arquivística.net, Rio de Janeiro, v. 2, n. 2, p. 103-119, ago./dez. 2006, utiliza um termo ainda mais frequente na bibliografia: “gestão arquivística de documentos”.

  5. Marcio,
    a origem do meu questionamento sobre a adoção da terminologia de Gestão Arquivística Documental (ou Gestão Arquivística de Documentos) como tradução de Records Management vem do fato de trabalhar há anos com Records Management sem nunca haver escutado o termo Gestão Arquivística Documental como seu correspondente em português.
    Entre os termos já que vi adotados para Records Management incluo:
    Gestão de arquivos documentais
    Gestão de registros
    Gestão de documentos arquivísticos

    Algumas fontes traduzem incorretamente Records Management como Gestão de Documentos, ignorando o fato de serem disciplinas complementares.

    Atenciosamente,
    Roberto Stelling

Deixe uma resposta