Microsoft reclama do combate ao Office Open XML

No último dia 14 de fevereiro, a Microsoft publicou uma carta aberta reclamando da campanha global — liderada pela IBM, segundo a Microsoft — contra a ratificação do padrão ECMA-376 Office Open XML (OOXML) pelo ISO/IEC JTC1. Para quem ainda não ouviu falar do OOXML, sugiro ler meu artigo de 22 de janeiro.

Segundo a Microsoft, ela ouviu seus clientes que querem escolha, interoperabilidade e inovação. Assim, a empresa definiu o novo conjunto de formatos Office Open XML para refletir o rico conjunto de recursos do Office 2007 e ter compatibilidade retroativa com os bilhões de documentos existentes do Microsoft Office. Submeteu o OOXML à aprovação como padrão aberto pela Ecma International (aprovado em 7 de dezembro de 2006), agora levado à ratificação pela ISO/IEC, por interesse de seus clientes — especialmente clientes governamentais — que preferem cada vez mais padrões abertos.

No fundo, é uma briga de interesse comercial da Microsoft para defender a longevidade e aceitação das vendas de um dos produtos de software mais populares e rentáveis do mundo: seu Microsoft Office. Fica claro que o objetivo da padronização dos formatos do Office 2007 não é torná-los realmente abertos e populares, já que dificilmente algum outro fornecedor conseguirá seguir toda a complexidade do padrão OOXML com 6000 páginas e cheio de amarrações ao Windows e ao próprio MS Office. O objetivo é responder às demandas do mercado dizendo “sim, meu produto é baseado em um padrão aberto internacional”.

Enquanto isso, a equipe de desenvolvimento da Sun para o StarOffice e OpenOffice.org anunciou, no início de fevereiro, o StarOffice 8 Conversion, um plug-in para Microsoft Word que permite que usuários do Microsoft Word 2003 leiam, editem e salvem documentos no formato padrão OpenDocument Format (ODF). A versão preliminar Technology Preview do plug-in já pode ser baixada.

Para saber mais:

2 Replies to “Microsoft reclama do combate ao Office Open XML”

  1. Eu acho a resposta da gm muito ignorante… uma vez que o comentário do bill gates foi feito no sentido de hardware e não de software. um exemplo é que a alguns anos atrás pra vc ter um computador, além ter que desponibilizar mto dinheiro, vc teria que ter um quarto em sua casa só pro seu cpu. se vc tivesse um problema no seu pc o tecnico iria entrar dentro dele para o consertar e ainda cabiam lá mais uns 3 tecnicos, dentro do seu cpu. mas em relação ao software a gm tem razão.

Deixe uma resposta