À zero hora deste domingo dia 18 de outubro começa o Horário de Verão 2009/2010 no Brasil.

O Horário de Verão (em inglês Daylight Saving Time – DST) é um recurso utilizado por dezenas de países, consistindo em alterar os relógios (em geral adiantando em 1 hora) durante o período do verão, para aproveitar por mais tempo a luz natural do sol e assim economizar energia.

Histórico

O histórico do horário de verão remete a origem da ideia a Benjamin Franklin, que em 1784 na França publicou uma carta anônima em um jornal sugerindo aos Parisienses que acordassem mais cedo para aproveitar a luz do sol e economizar energia de velas.

O moderno horário de verão com período definido é atribuído por várias fontes a William Willett, construtor Britânico e membro da Sociedade Astronômica Real da Inglaterra, que em 1907 deu início a uma campanha para adoção do horário de verão naquele pais. Mas a Wikipédia em inglês contesta essa informação e aponta o entomologista e astrônomo George Vernon Hudson, da Nova Zelândia, como o primeiro a propor o horário de verão moderno em um artigo de 1895 apresentado à Wellington Philosophical Society.

O horário de verão foi efetivamente introduzido pela primeira vez em 30 de abril 1916 na Alemanha, na Áustria-Hungria e, no mesmo ano, na Irlanda, como uma medida de economia após a Primeira Guerra Mundial, seguido depois por diversos países.

No Brasil

No Brasil, o horário de verão foi adotado pela primeira vez em 1931 em todo o território nacional, visando também à economia de energia elétrica, instituído pelo Decreto nº 20.466 de 01/10/1931. Após dois anos de experiência, a medida gerou oposição e foi revogada em 1933.

Em períodos subsequentes a hora ou horário de verão foi instituída e revogada — de 1949 a 1953 após a Segunda Guerra, de 1963 a 1968, motivado pelo efeito negativo das estiagens e a economia de energia hidroelétrica e suspenso durante a Ditadura Militar.

A hora de verão no Brasil voltou na presidência de José Sarney em 1985, com períodos definidos por Decreto a cada ano, inicialmente em todo o território nacional, mas depois passou a valer apenas em alguns estados (quais variando em sucessivos decretos).

Diferente de uma regra fixa de vigência do horário de verão modernamente adotada por diversos países, já que o ciclo solar é igualmente fixo e bem definido, no Brasil cada decreto desde 1985 arbitrava as datas anuais de início e fim, e pior, em geral com pouquíssima antecedência.

Essa variação constante e de “última hora” de datas e estados no Brasil causou muitos transtornos. A situação piora de forma crescente na era dos milhões e bilhões equipamentos eletrônicos e computadores com relógio interno e controle de horário, e ainda mais agravado no mundo da internet e das redes globais interconectando tudo! Veja por exemplo o artigo Horário de verão e a segurança dos computadores.

Finalmente o Decreto nº 6.558, DE 8 de setembro de 2008, no governo Lula, instituiu uma regra permanente para a Hora de Verão em parte do território nacional, mas como infelizmente muita coisa no Brasil — ainda mais na política — sempre tem algo para complicar, o decreto tem dois problemas:

  • Enquanto nos Estados Unidos as (raras) alterações de regra no horário de verão foram sempre publicadas com mais de um ano de antecedência, o Decreto de 2008 mais uma vez “sagrou” a falta de planejamento brasileira, sendo publicado pouco mais de um mês antes do início da vigência do horário de verão naquele ano.
  • No artigo primeiro que cria a regra fixa de datas de início e fim, o Decreto tem um parágrafo que cria uma exceção incrível: “No ano em que houver coincidência entre o domingo previsto para o término da hora de verão e o domingo de carnaval, o encerramento da hora de verão dar-se-á no domingo seguinte.” Depois tem gente que reclama quando dizem que no Brasil tudo acaba em samba (ou em pizza)…

Para saber mais:

Computadores com Windows: Um dos grandes impactos do horário de verão do Brasil é no ajuste dos milhões de computadores pessoais com o sistema pessoal Windows. Veja as seguintes informações e orientações a respeito: