Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa

Feliz 2009 a todos!

Entrou em vigor no Brasil em 1º de janeiro de 2009 o Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa (1990), resultante do projeto de ortografia unificada de língua portuguesa de 1990, depois de um longo período de mais 18 anos de depuração e espera.

O Decreto do Presidente Lula que promulgou o Acordo estabelece um período de transição até o fim de 2012, durante o qual coexistirão a norma ortográfica atualmente em vigor e a nova norma estabelecida.

Segundo o MEC, a unificação da ortografia acarretará alterações na forma escrita em aproximadamente 1,6% do vocabulário usado em Portugal e 0,5% no Brasil, e as diferenças ortográficas existentes entre o português do Brasil e o de Portugal serão resolvidas em 98%.

Reduzindo as diferenças ortográficas entre Brasil, Portugal e demais países de língua portuguesa rumo a uma unificação, a medida tem um fator político e global muito importante, mas também sofre críticas de caráter teórico, prático e ideológico, assim como ocorreu com outras reformas e acordos ortográficos no passado.

Resumo das principais mudanças, para o Português do Brasil, no alfabeto, trema, acentos e hífen:

  • Entram oficialmente as letras K, W e Y no alfabeto português, que passa a ter 26 letras
  • Não se usa mais trema (¨) em cima do U (ü), permanecendo apenas nas palavras de origem estrangeira, como Müller — ex: linguiça, frequente, aguentar, sequência, bilingue
  • Some o acento agudo dos ditongos abertos éi e ói das palavras paroxítonas — ex: ideia, Coreia, estreia, plateia, assembleia, heroico, boia, asteroide, androide, joia, paranoia, jiboia
  • Some o acento circunflexo das palavras terminadas em êem e ôo(s) — ex: creem [crer], deem [dar], leem [ler], veem [ver], preveem [prever], voo(s), enjoo(s), abençoo, perdoo [perdoar]
  • Some o acento diferencial, exceto em pôr/por e pôde/pode; o acento em fôrma é opcional, quando necessário diferenciar de forma; permanecem também os acentos que diferenciam singular e plurar de ter, vir e seus derivados (tem/têm, vem/vêm, mantém/mantêm etc.) — ex: para [pára], pela(s) [péla(s)], pelo(s) [pêlo(s)], polo(s) [pólo(s)], pera [pêra]
  • Some o acento no i e no u tônico depois de ditongo, em palavras paroxítonas — ex: baiuca, bocaiuva, feiura
  • Simplificado o uso do hífen, retirado após a maior parte dos prefixos; permanece hífen quando a palavra seguinte é iniciada com H ou com letra igual à última do prefixo; se o prefixo termina com vogal e a palavra seguinte é iniciada com R ou S, dobram-se essas letras (rr e ss); com o prefixo vice, sempre se usa hífen — ex: autoescola, autorretrato, autossustentável, auto-hipnose, auto-observação, micro-ondas, supersônico, super-homem, inter-regional, sub-base, vice-presidente.

Veja detalhes em:

Outra dica é o portal UmPortugues.com – Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa, por Aurélio Marinho Jargas. Criado para ajudar no aprendizado da nova ortografia, o site, além de trazer o texto oficial do Acordo Ortográfico para consulta, oferece um verificador automático que analisa o texto digitado pelo visitante quanto às novas regras do Acordo e aponta e explica as grafias incorretas.

Histórico

Eis um histórico da aprovação do acordo ortográfico de 1990 no Brasil e demais países de língua portuguesa:

  • projeto aprovado em Lisboa, em 12 de outubro de 1990, por delegações de Portugal (Academia das Ciências de Lisboa), Brasil (Academia Brasileira de Letras — Prof. Antônio Houaiss e Dra. Nélida Piñón), Angola, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique e São Tomé e Príncipe, com a adesão da delegação de observadores da Galiza;
  • Acordo Ortográfico assinado em Lisboa, em 16 de dezembro de 1990, pelos representantes dos órgãos de Educação e Cultura dos sete países signatários;
  • em Portugal, Acordo aprovado pela Resolução da Assembléia da República nº 26/91, em 4 de junho de 1991, e ratificado pelo Decreto do Presidente da República nº 43/91, em 4 de agosto de 1991 (Diário da República);
  • Acordo aprovado pelo Congresso Nacional do Brasil, por meio do Decreto Legislativo nº 54, de 18 de abril de 1995 (Diário do Congresso Nacional);
  • no artigo 3º, o Acordo previa a sua entrada em vigor a 1º de janeiro de 1994, mediante a ratificação de todos os membros, mas ficou pendente porque apenas Portugal (1991), Brasil (1995) e Cabo Verde haviam ratificado o documento;
  • em 17 de julho de 1998, na cidade da Praia, Cabo Verde, foi assinado um “Protocolo Modificativo ao Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa” que retirou do texto original a data para a sua entrada em vigor;
  • em julho de 2004, os chefes de estado e de governo da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), reunidos em São Tomé e Príncipe, aprovaram um “Segundo Protocolo Modificativo ao Acordo Ortográfico” que, permitia a adesão de Timor-Leste e previa que, em lugar da ratificação por todos os países, fosse suficiente que três membros da CPLP ratificassem o Acordo Ortográfico para que este entrasse em vigor nesses países;
  • Acordo promulgado pela Presidência da República do Brasil, no Decreto nº 6.583, de 29 de setembro de 2008 (Diário Oficial da União). A cerimônia ocorreu na Academia Brasileira de Letras, no Rio de Janeiro, celebrando os 100 anos da morte do escritor Machado de Assis.

Para saber mais

16 Replies to “Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa”

  1. Vai ser difícil acostumar. Não consegui ler essas palavras da maneira “nova” sem acha-las erradas… Passei a vida corrigindo quem cometia esses “erros” e agora o certo virou errado!!
    Temos até 2012 para acostumar definitivamente!!

  2. É, Luli. Que venham os que “deem tudo para aguentar linguiça no micro-ondas frequentemente achando autossustentável”. kkk (sim, risada com K agora tá no alfabeto!)

  3. Olá Márcio,

    Parabéns pelo post, muito bom !

    Acrescentei um link para o seu blog. Quando tiver tempo, uma olhada no meu blog, tem alguns informações na área de mestrado e doutorado na POLI.

    abraço, e parabéns novamente, estou sempre acompanhando seu blog,

    Domingos Bernardo Gomes Santos
    Laboratório de Sensores Ópticos – LSO
    Departamento de Engenharia de Energia e Automação Elétricas – PEA / POLI – USP
    domingos_gomes@pea.usp.br
    http://www.domingosber.wordpress.com

  4. Circula na Internet uma tabela de resumo “Novo Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa” que cita apenas o seguinte como autoria: “Por: Marília Mendes”. O já famoso quadro resumo está postado e espalhado em diversos locais e formatos pela Internet:

    A única pista mais forte que encontrei da comprovada origem do texto resumo foi o artigo Novas Regras Ortográficas, por profa. Juliane Borges Gomide, postado em seu blog em 2009-01-01. Lá ela transcreve este mesmo conteúdo, citando ao final:

    Fontes: Professores Marília Mendes Ferreira, doutora em Lingüística Aplicada, e Douglas Tufano, autor de vários livros (…)

    Encontrei na internet o contato da professora Dra. Marília Mendes Ferreira, do Departamento de Letras Modernas da FFLCH – USP (http://sistemas.usp.br/atena/atnCurriculoLattesMostrar?codpes=5837868), mas a consultei (por e-mail) e ela respondeu que não é dela a autoria.

    Voltei à estaca zero: quem é Marília Mendes, alegada autora do texto que circula na internet desde meados de julho de 2008???

  5. Prezado Marcio
    Cá com meus mais de 65 anos de idade, tenho procurado acompanhar a Reforma Ortográfica da Língua Portuguesa. Entendi que as autoridades brasileiras argumentam a dita reforma como necessária face o Português não estar entre aquelas línguas oficiais da ONU. Não sei da veracidade dessa afirmativa, mas está citada na WEB, com nomes, datas, etc.
    Para mim isso não é o suficiente, já que o Alemão tem pelo menos 3 ortografias e o Inglês outras tantas.
    Gostaria de levar esse assunto muito mais adiante, entretanto vou resumir:
    1- O Brasil é um país com mais de 200 milhões de habitantes, espalhados por um espaço continental. Nossos compatriotas, infelizmente, talvez mais da metade, mal sabem assinar o nome. Outros lêem e escrevem com imensa dificuldade, sob esforço invejável. Isso ainda no Português arcaico (até 2008). Imaginemos agora dizer para eles que as regras foram mudadas e que vão ter que reaprender tudo. Quanto desincentivo. Pobre povo!
    2- Ainda mais pobre vão ficar quando tiverem que comprar dicionários, todos livros didáticos (geografia, história, ciências, matemática, física, etc, etc.). Quanto isso vai custar? Os irmãos mais novos não vão poder usar os livros dos mais velhos…E estamos em plena crise econômica mundial.
    3- O Brasil sai na liderança, impondo a nova ortografia a partir de jan/2009, alternativamente com a anterior até 2012.
    Portugal, mais prudente, estendeu o prazo para 2014. Isso tudo se não virar “O samba do…doido”, ai que saudade do S.Ponte Preta!
    4- Disso tudo não consigo entender:
    homem – mantém o “h” _ humano – com “h”
    sub-humano (antes) _ subumano (agora)
    super-homem (mantém o hífenm), por que será? Só porque é super-herói ou supererói?

    Visualize a expressão facial do nosso povo. Se não fosse trágico, seria cômico.
    Será que você, meu prezado, não se interessaria em integrar um grupamento de pessoas – brasileiras e portuguesas – para repensar essa Reforma Ortográfica, seus custos, suas dificuldades e sua própria re-forma?
    Cordialmente
    Antonio Roquette
    27 fev 2009

  6. Olá Márcio, parabéns pelo blog, na minha opinião, TODO acento deveria ser abolido, pois acho que somente gera confusão. Se temos muitas palavras que não tem acentuação mas são faladas como se tivessem, por que não estender a regra a toda nossa gramática?
    abs!

    PS: desculpe, inseri o comentario anteriormente num artigo errado…

  7. Caro(a) amigo,

    No meu local de trabalho, uma colega de trabalho está corrigindo todas as datas escritas assim: 04/02/2009 para 4/2/2009. Ela está alegando que de acordo com a reforma ortográfica, não se usa mais zero antes de números de zero a 9. Isto é mesmo verdade?

  8. @#8:
    Não, não consta nada no acordo ortográfico que mude o formato de data brasileiro.
    Não encontrei referências sobre o formato de data do Brasil, mas pelo que sei, continua o velho DD/MM/AAAA de sempre.

    No meu blog e site, optei há algum por passar a utilizar o formato de data no padrão internacional ISO 8901, que é AAAA-MM-DD, por questão de acessibilidade, tendo em vista que o conteúdo é acessado por visitantes de diversos países.
    http://www.w3.org/QA/Tips/iso-date
    http://www.iso.org/iso/support/faqs/faqs_widely_used_standards/widely_used_standards_other/date_and_time_format.htm
    http://en.wikipedia.org/wiki/ISO_8601
    http://www.iso.org/iso/iso_catalogue/catalogue_tc/catalogue_detail.htm?csnumber=40874

  9. Excelente centro de recursos sobre o novo Acordo Ortográfico! Obrigado pelo post 🙂

    Deixo uma sugestão como complemento à informação acima, caso seja útil aos leitores do blog.

    Já é possível fazer um único download com (*todos*!) os MELHORES EBOOKS sobre o Acordo Ortográfico.

    São 50 ebooks, em duas edições – ‘Brasil’ e Portugal’:

    SuperBiblioteca de 50 Ebooks Grátis Sobre o Novo Acordo Ortográfico!
    http://ebooksacordo.blogspot.com

  10. Olá, Márcio.
    Eu sou a Márilia Mendes.
    Pois é, meu texto anda circulando pela internet desde 2008.
    Nesta época eu era assistente editorial da Editora Novo Conceito. Fiz um curso sobre a novar ortografia e acabei fazendo uma tabela de uso rápido, que distribuí apenas para os colaboradores da editora, amigos e familiares. Mas me esqueci do poder da internet, e quando eu menos esperava, comecei a achar a minha tabela em todos os lugares.
    Hoje percebo que tem muitos erros, até porque foi feita antes mesmo de a reforma entrar em vigor. E depois do VOLP oficial, saíram várias erratas. Na verdade, até hoje acho que muita regra ainda não foi definida corretamente.
    Enfim, só estou aqui para me apresentar e esclarecer que caso encontrem algum erro na tabela é devido à data que foi elaborada.

    Obs: também cheguei a entrar em contato com a Profa. Marília Mendes da USP, já que em muitos sites o texto estava creditado a ela.

  11. Olá @Marília!
    Fico super satisfeito com seu contato e sua participação aqui no blog! Realmente, o poder e o potencial da internet são impressionantes e nos surpreendem a todo momento.

    Muito obrigado pelo seu contato, parabéns pela iniciativa de divulgar conhecimento (erros são inerentes ao processo de aprendizado e evolução, só quem não tenta não erra…) e grande abraço!

Deixe uma resposta