[Atualizado em abril 2007 (CMU 0.6.3), março 2008 (CMU 0.6.3a), abril 2008 (LM 1.106), outubro 2009 (CMU 0.7.0 e LM 2.004).]

Dr. Donald E. Knuth, professor emérito da Universidade de Stanford University na “Arte de Programação de Computadores”, é um dos papas da ciência da computação, autor da célebre série de livros The Art of Computer Programming, considerada uma “bíblia da computação”.

Em 1977, desapontado com a qualidade da tipografia então existente ao ver a prova da edição atualizada do seu segundo volume da série, Knuth se interessou por tipografia digital e acabou por criar todo um sistema para composição digital de textos. Os frutos desse trabalho incluem outra série de livros denominada Computers and Typesetting, o sistema METAFONT para a definição vetorial de fontes, e o sistema de composição de documentos TeX. Até hoje, o ambiente programável LaTeX, desenvolvido desde 1985 por Leslie Lamport a partir do TeX, é largamente utilizado no meio acadêmico, sendo em muitas universidades um padrão para escrita de artigos, monografias e outros documentos técnico-científicos.

Para o sistema TeX, Knuth criou com o METAFONT uma família de fontes denominada Computer Modern, atualizada em 1992. Com alto contraste entre elementos finos e grossos, estas fontes são muito elegantes, agradáveis e legíveis, além de contemplar toda a gama de símbolos matemáticos, letras gregas etc.

Se você é um “mero mortal” que utiliza OpenOffice Writer, Word ou outro editor de documentos, mas gostaria de utilizar a gloriosa família de fontes Computer Modern, a boa notícia é que existem projetos que migraram as fontes para formatos como o OpenType, para uso geral em Windows, Linux e outros sistemas operacionais, com suporte a alfabetos internacionais latinos (caracteres acentuados) e Unicode.

Latin Modern (LM) por GUST Polônia

O GUST, Grupo de Usuários do Sistema TeX da Polônia, mantém o projeto The Latin Modern (LM) Family of Fonts.

As fontes Latin Modern são derivadas das famosas fontes Computer Modern criadas por Donald E. Knuth e publicadas pela primeira vez pela American Matematical Society (AMS) em 1997. Uma das principais extensões foi a adição de um extensivo conjunto de caracteres diacríticos, cobrindo vários conjuntos de caracteres baseados no Latino, a maioria europeus, mas também outros como Vietnamita. Este projeto é de autoria de Bogusław “Jacko” Jackowski e Janusz M. Nowacki a.k.a. “Ulan”, apoiado em assuntos de LaTeX por Marcin Woliński.

A família Latin Modern é constituída por 72 fontes texto, publicadas com MetaType1 sources, mais 20 fontes matemáticas. As 72 fontes de texto definem 40 tipos diferentes, sendo as demais variações de corpo em um mesmo tipo. Agrupando os tipos nas variações normal, negrito e itálico (algumas não tem todas as variações) resulta em 14 fontes distintas, conforme ilustrado: 6 monoespaçadas, 5 romanas (com serifa) e 3 sem serifa.

A família é distribuída na forma de um conjunto de fontes Postscript Type1 e conjuntos de arquivos de métrica TEX para diversas codificações de caractere. As fontes também estão disponíveis no formato Open Type (OTF), prontas para uso em processadores de documentos WYSIWYG populares.

As fontes Latin Modern são lançadas sob a GUST Font License (GFL), que é licença livre, legalmente equivalente à LaTeX Project Public License (LPPL), versão 1.3c ou posterior.

Computer Modern Unicode (CMU) por Andrey V. Panov

Já o russo Andrey V. Panov criou as Computer Modern Unicode fonts, com total suporte a caracteres acentuados e alfabetos internacionais Unicode.

A versão mais recente do trabalho de Panov, lançada em junho de 2009, pode ser baixada gratuitamente no repositório de software livre SourceForge – projeto cm-unicode, em diversos formatos abertos de definição de fonte, inclusive o OpenType (OTF), suportado na plataforma Microsoft desde o Windows 2000. Veja em Fontes Computer Modern (TeX) Unicode um passo-a-passo de instalação em Windows.

Dica: Para baixar o pacote compactado cm-unicode-*-otf.tar.gz, você precisará de um descompactador que suporte compactação GZip, como PowerArchiver e 7-Zip para Windows, ou gunzip nas plataformas Unix/Linux. Para compactação xz que passou a ser utilizada no pacote 0.7.0, utilize PowerArchiver (2011 ou superior) ou PeaZip em Windows, ou o XZ Utils em Unix/Linux.

A família CMU provê oito fontes distintas, com suas variações de normal, negrito e itálico (assim como a família LM, algumas não incluem todas as variações): duas sem serifa, quatro com serifa e duas monoespaçadas.

O catálogo de fontes do LaTeX

Uma relação extensiva de fontes disponíveis para o LaTeX pode ser encontrado com exemplos no The LaTeX Font Catalogue, no Grupo de Usuários TeX da Dinamarca. O principal repositório dos arquivos de fontes é o Comprehensive TEX Archive Network (CTAN) tex-archive/fonts.

Várias das fontes estão disponíveis em formato OpenType, que pode ser instalado para uso geral no Windows.

Referências

Para saber mais (maioria dos links em inglês):