Sucesso de projetos atualizado

Lendo o artigo CHAOS Report: Métodos Ágeis Aumentam Taxa de Sucesso de Projetos, postado no Blog ScrumHalf em 11/02/2011, obtive os dados do mais recente relatório do Standish Group CHAOS Manifesto 2011, atualizado para dados sobre o sucesso e falha de projetos de TI da pesquisa realizada em 2010.

Em comparação com o relatório CHAOS Manifesto 2010, relatando a pesquisa realizada em 2008, a taxa de projetos rotulados como Sucesso aumentou de 32% para 37% enquanto a taxa de projetos rotulados como Fracasso diminuiu de 24% para 21%. A taxa de projetos com o rótulo de Deficit também reduziu de 44% para 42%.

A taxa de sucesso de 37% é a maior encontrada pelas pesquisas do Standish Group desde 1994.

Segundo o artigo, o Standish Group aponta quatro razões para a melhoria significativa encontrada em 2010 em relação a 2008:

  1. Processos Ágeis: A utilização desses processos cresce a uma taxa de 22% CAGR (Compound annual growth rate). Hoje representam 9% de todos os projetos de TI e são adotados em 29% do desenvolvimento de novas aplicações. O instituto conclui que o crescimento da taxa de sucesso está diretamente relacionado ao aumento da adoção de metodologias ágeis.
  2. Modernização: Esses projetos, que entre outros focam na conversão de código/banco de dados, tem taxa de crescimento anual menor do que a dos processo ágeis. Entretanto tem taxa de projetos rotulados como sucesso maior. O instituto conclui que isso acontece devido ao mecanicismo desses processos e de um ambiente relativamente mais homogêneo de perfil de profissionais.
  3. Pacotes Empresariais: O número de novos projetos de implantação de ERP e CRM diminuiu. Como, segundo o instituto, consistem em projetos de grande risco com resultados questionados, a diminuição de novas implantações contribuiu para aumentar a taxa de projetos rotulados como sucesso.
  4. Processos em Cascata: Consistem nos métodos tradicionais e já representaram quase 50% do número de novas implementações. Como crescem a 1% CAGR, sua utilização relativa diminuiu, contribuindo, assim, positivamente para a taxa de sucesso.

Estes dados me permitem autalizar o gráfico do artigo Sucessos e falhas em projetos de TI, postado exatamente um ano atrás. Agora ele fica assim:

No campo da Modernização, o Standish Group disponibiliza, na área de Amostra de Pesquisas (requer registro gratuito), o relatório NonStop Modernization (abril 2011) em que lista as prioridades de investimento em TI para 2011, The Standish Group’s annual Top 10 Areas of IT Investiments:

  1. Modernização de aplicações (SOA, BPM, etc.)
  2. Upgrade de infraestrutura (hardware, software)
  3. Melhoria da segurança
  4. Computação em nuvem (SaaS, Utility Computing)
  5. Desenvolvimento de novas aplicações
  6. Capacitação da equipe
  7. Disponibilidade de aplicações e sistemas
  8. Conformidade e governança
  9. Consolidação e otimização
  10. Presença web e comércio eletrônico

E destaca os Três Conceitos e Seis Passos para a Modernização Contínua:

Conceitos:

  1. Compreender seu projeto de modernização e o ambiente deste: a organização deve dominar o projeto de evolução que vai executar, compreender seus custos, riscos e benefícios, as diferentes opções e suas implicações, e deve ter um plano claro para seguir e guiar sua condução.
  2. Refatorar: Standish Group estima que cerca de 80% dos recursos e funcionalidades de uma típica aplicação missão-crítica não são usados; deve-se, portanto, remover as partes não utilizadas antes de se migrar programas, evitando esforço inútil.
  3. Modernizar a infraestrutura: atualizar hardware defasado e proprietário para sistemas blade comuns, aumentando a consolidação e trazendo mais simplicidade e flexibilidade.

Passos:

  1. Modernize o banco de dados
  2. Modernize a experiência do usuário
  3. Modernize a aplicação
  4. Modernize a disponibilidade
  5. Modernize a segurança
  6. Modernize a operação

Quanto aos processos ágeis, é interessante citar que o Manifesto Ágil completou 10 anos em 2011. Para abordar os desafios encarados por desenvolvedores de software, um grupo inicial de 17 metodologistas formou a Agile Alliance, em fevereiro de 2001. Este grupo formulou um manifesto para encorajar melhores maneiras de se desenvolver software, e baseado nesse manifesto definiu quatro valores e doze princípios que formam os fundamentos do movimento ágil.

Os quatro Valores do Manifesto Ágil:

  • Indivíduos e interações acima de processos e ferramentas;
  • Software funcionando acima de documentação abrangente;
  • Colaboração com o cliente acima de negociação de contrato;
  • Responder a mudança acima de seguir um plano.

Dentre as metodologias ágeis, o Scrum é um processo de desenvolvimento iterativo e incremental para gerenciamento de projetos e desenvolvimento ágil de software.

Para saber mais sobre o manifesto ágil e scrum:

Aproveitando o assunto de projetos, também atualizei meu artigo introdutório PMBOK e Gerenciamento de Projetos, um dos mais acessados e citados do meu site, refinando as seções sobre o gerente de projetos e suas habilidades interpessoais, e também aquela sobre a instituição IPMA com sua filosofia e certificações.

Para saber mais:

7 Replies to “Sucesso de projetos atualizado”

  1. @José Carréra: Obrigado pela participação e pelo comentário. Fico realmente feliz da informação em meu blog ser útil.

    De fato, o gráfico de evolução do sucesso e fracasso nos projetos de TI segundo o Chaos Report/Manifesto do Standish Group, que montei desde os dados iniciais 1994 até o mais recente sobre 2010, não encontrei em nenhum outro local na internet… acho que produzi um conteúdo realmente exclusivo!

  2. Oi Marcio,

    Existem outras informações de fonte confiável da Jama-Ravenflow. É legal confrontar os dados do Chaos Manifest com o artigo deles, intitulado “State of requirements management 2008”. Apesar de ser de requisitos e de 2008, ele mostra o market share dos processos de produção de software (UP, XP, Waterfall). É legal confrontar esses números, ainda que o artigo seja de 2008, ainda pode ser considerado recente, e se for verificar o que é dito a gente pode tirar algumas conclusões muito interessantes. Abaixo segue o link do artigo:

    http://www.engenhariadesoftware.info/downloads/State_of_Requirements_Management_2008_Jama.pdf

    Uma parte da minha tese de mestrado, também faz o estudo do progresso de sucesso/fracasso de projetos, se quiser depois, me passa um email, que posso te enviar.

    Grande abraço,
    Luiz David Szilagyi

  3. Olá Márcio,

    Vejo que vc utiliza muito os dados dos relatórios do Standish Group nos seus trabalhos. Pretendo utilizá-los em um artigo que estou escrevendo e na minha dissertação de Mestrado, mas ainda não consegui o Chaos Manifesto 2011. Por acaso você tem? Achas confiável utilizar estes dados?
    Parabéns pelo blog.

    Abraços,
    Cintia

  4. Olá @Cintia.
    Desculpe a demora em responder, espero que ainda esteja em tempo…

    Não tenho o Chaos Manifesto 2011. Obtive os dados estatísticos de 2010 (contidos no Chaos Manifesto) no artigo que citei no início. Como os dados dos anos anteriores no referido artigo conferiam com os que possuo, assumi que também os de 2010 estavam corretos.

    Os percentuais para os anos de 2008 e anteriores posso assegurar que estão precisos, com base no CHAOS Summary for 2010 que adquiri, e do Extreme CHAOS 2001 que estava disponível para download gratuito no Standish Group.

    Obrigado pela participação e incentivo, e sucesso em seu artigo e no mestrado!

    Abraço,
    Márcio

  5. Márcio,

    Também estou escrevendo minha monografia e gostaria de saber se hoje Agosto de 2012 já temos estatísticas atuais desse relatório.

    Parabéns por esse post.

    Abraço,
    Damiana NEves

Deixe uma resposta