Sucessos e falhas em projetos de TI

Há 16 anos, o Standish Group estuda projetos de TI. Ao longo desse tempo, a pesquisa CHAOS já estudou mais de 70 mil projetos de TI realizados.

O CHAOS Report é frequentemente citado em artigos e apresentações sobre gerenciamento de projetos de TI. Essa pesquisa classifica o resultado de cada projeto de TI em uma destas três situações:

  • Bem sucedido: O projeto é concluído dentro do prazo e orçamento planejados, com todos os recursos e resultados originalmente especificados.
  • Deficitário: O projeto é concluído e operacionalizado, mas com atraso, acima do custo estimado ou com menos recursos e resultados que o especificado.
  • Falho: O projeto é cancelado antes de ser concluído ou nunca é implementado.

A evolução dos percentuais de cada resultado, nas pesquisas CHAOS de 1994 até 2008, está representada no gráfico a seguir.

Há quem critique os critérios utilizado pelo Standish Group. No artigo The Rise and Fall of the Chaos Report Figures, por J. Laurenz Eveleens e Chris Verhoef, Universidade Vrije de Amsterdam, 2009-09-04, publicado na IEEE Software, vol. 27, num. 1, p 30-36, jan/fev 2010, os autores afirmam que “seus estudos apontam que as definições de sucesso e de desvio de projetos tem quatro problemas principais: são ambíguas, unilaterais, pervertem a prática de estimativa, e resultam em números pouco significativos“.

Contudo, o Standish Group tem repetido as pesquisas de forma consistente a cada dois anos desde 1994. Desta forma, os resultados apresentados no Chaos Report são, no mínimo, um referencial histórico para análises e considerações sobre a evolução do sucesso em projetos.

Um paralelo com o Guia PMBOK e processos estratégicos

Interessante notar que o Instituto de Gerenciamento de Projetos (PMI) lançou a primeira versão oficial do Guia PMBOK em 1996. Este Guia pode ser considerado um marco na formalização e ampla divulgação dos conceitos e das melhores práticas em gerenciamento de projetos, e vem contribuindo para a profissionalização e evolução da atividade de gerenciamento de projetos em todo o mundo.

O Guia PMBOK tem sido atualizado e publicado pelo PMI em ciclos de quatro anos, com novas edições tendo sido lançadas em 2000, 2004 e 2008, inclusive com traduções em português e diversos outros idiomas.

De 1994 para 1996, o sucesso em projetos medido no CHAOS Report teve um considerável salto positivo, de 16% para 27%. Igualmente, a partir de 1996, a taxa de sucessos cresceu pouco, mas até 2002 a taxa de fracassos decaiu consideravelmente, de 40% chegando a 15%.

A disseminação dos conceitos e práticas de planejamento e controle no gerenciamento de projetos, com a participação de organizações profissionais como o próprio PMI (de origem americana), o IPMA (de origem europeia) e outras, neste período, provavelmente contribuiu para o aumento do sucesso e redução do fracasso em projetos.

A oscilação de sucessos e fracassos desde 2002 deve levar em conta as crescentes abrangência, complexidade e criticidade dos projetos de TI, com a tecnologia sendo impelida a atuar imersa e alinhada cada vez mais no cerne dos processos de trabalho e das estratégias institucionais.

Fatores críticos de sucesso

Mesmo que o paralelo apresentado seja interessante e coerente, seria um tanto simplista tentar resumir a poucos pontos os determinantes da evolução no resultado dos projetos.

O próprio Standish Group aponta um conjunto mais consistente de fatores críticos de sucesso para projetos de TI:

  • Envolvimento efetivo e positivo dos usuários.
  • Apoio da alta gestão, ou patrocínio executivo.
  • Objetivos de negócio claros, bem definidos.
  • Maturidade emocional das partes envolvidas (stakeholders), controlando as “Cinco Sinas Mortais” no gerenciamento de projetos: ambição excessiva, arrogância, ignorância, abstinência e fraudulência.
  • Otimização, visando obter o máximo de valor para o negócio com o mínio de riscos.
  • Processos ágeis, com desenvolvimento iterativo.
  • Expertise em gerenciamento de projetos, onde aí entra a importante contribuição do Guia PMBOK e das organizações profissionais de gestão de projetos.
  • Equipe capacitada, consistindo na habilidade de adquirir, gerenciar e controlar os recursos certos no momento certo, lidando com turnover, bem como desenvolver e manter competências.

Para saber mais:

3 Replies to “Sucessos e falhas em projetos de TI”

  1. Olá Márcio…sou acadêmico de Sistemas de Informação pela URI – Santo Ângelo – RS e recentemente estou elaborando o meu Projeto de Conclusão de Curso(PCC). Gostaria de saber se há possibilidades de você me ajudar com algum tema de PCC para os desafios de desenvolvimento de projetos de software que eu possa abordar no meu projeto e seguidamente do meu TCC.

    Parabéns pelo artigo…aguardo contato…

    Atenciosamente
    Eno

  2. Boa tarde Márcio,

    Estou elaborando minha pesquisa paar conclusão do MBA em Gestão Empresarial com enfase em ERP SAP e escolhi para abordar porque os projetos de implantãçãod e sistemas ERP falham, contudo estou tendo grande dificuldade em encontrar bibliografia que seja reconhecida academicamente, pois é exigência. Poderia me indicar alguma? Obrigada

Deixe uma resposta