Valor mínimo de TED reduz para 3 mil reais

Fonte: Diretoria de Comunicação da FEBRABAN e Jornal do Comércio, 14/04/2010, Último Instante, 21/05/2010.

As transferências de recursos financeiros entre bancos no Brasil ficaram ainda mais ágeis desde 21 de maio, quando o limite mínimo para a TED, ou Transferência Eletrônica Disponível, caiu para R$ 3 mil, conforme decisão da Federação Brasileira de Bancos – FEBRABAN.

A TED tem duas grandes vantagens em relação ao Documento de Crédito (DOC), principalmente para o destinatário. Primeiro, a rapidez: a TED é processada eletronicamente, de forma que o valor transferido de um banco para o outro fica disponível na conta destino no mesmo dia, em geral quase instantaneamente. E traz segurança já que a operação é irreversível, ou seja, não pode ser estornada ou sustada e só se realiza com recursos efetivamente disponíveis na conta do remetente — não existe, portanto, a possibilidade de uma TED sem fundos.

Transferências em apenas um dia nesse valor são raridade no mundo, o que torna o Sistema de Pagamentos Brasileiro (SPB) um paradigma de excelência mundial, não só pela agilidade e universalidade, como pela segurança que confere ao sistema financeiro e seus usuários.

Para transferências entre R$ 3 mil e R$ 5 mil, o usuário poderá optar entre a realização de uma TED ou de um DOC, de acordo com a tarifa mais vantajosa em cada caso. A TED continua obrigatória para transferências acima de R$ 5 mil.

Em março, a Câmara Interbancária de Pagamentos (CIP), responsável, no SPB, pelo processamento desse tipo de operação, realizou um total de 279 mil TEDs por dia. Com o novo limite de R$ 3 mil, estima-se que processará aproximadamente 335 mil TEDs diariamente.

Segundo a Federação Brasileira dos Bancos (Febraban), as TEDs contabilizaram, no ano de 2009, um total de R$ 10,4 trilhões, o equivalente a 2,4 vezes o Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro no período.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *