O leitor de e-mail Mozilla Thunderbird 2 e o webmail GMail (Google Mail) têm em comum um recurso que agrega segurança, eficiência e praticidade. O bloqueio e a exibição seletiva de imagens externas dentro de mensagens de e-mail.

Imagens externas ou remotas são referências a imagens na web dentro de uma mensagem formatada, para compor o conteúdo. Em termos simples, é quando o remetente escreveu a mensagem formatada e usou para diagramação ou ilustração uma ou mais imagens mantidas na internet. Em termos técnicos: existe uma ou mais tags IMG no HTML da mensagem, cujo atributo fonte (SRC) aponta para uma imagem na internet.

Neste caso, o programa de e-mail, depois de baixar a mensagem, terá de acessar a internet novamente e baixar cada imagem remota referenciada, para que seja exibida a apresentação visual completa da mensagem recebida.

Tal uso de imagens pode ser usado de forma legítima e “inocente”, para compor uma mensagem formatada e ilustrada. É inclusive muito comum nas malas diretas de empresas, que usam imagens para ilustrar os produtos divulgados. Assim, as imagens não são incluídas no corpo de cada mensagem enviada — o que efetivamente reduz o tamanho da mensagem e o tráfego de envio — mas sim acessadas da web quando cada destinatário visualiza.

Pode ser prático para quem envia, mas é perigoso para quem recebe.

Os riscos

Para começar, podem me chamar de antiquado, mas eu particularmente sou favorável do correio eletrônico para mensagens de texto puro, sem formatação, como foi originalmente concebido. Formatação HTML (fontes, cores, tamanhos… etc.) aumenta muito o tamanho da mensagem trafegada, em comparação a se fosse enviado apenas o texto puro de seu conteúdo. Considerando que em geral os programas de e-mail, ao enviar uma mensagem formatada, enviam junto também uma versão alternativa em texto puro e que as informações de formatação ocupam “espaço”, o tamanho de uma mensagem formatada é mais de duas vezes maior que o tamanho do texto puro.

Mas mesmo que você considere essencial trazer para o correio eletrônico a riqueza visual que existe na web, com seus negritos, centralizados etc., existem riscos concretos nas mensagens formatadas com imagens.

Primeiro, tráfego de rede. Imagens em geral são muito maiores do que texto e, para exibir plenamente uma mensagem com diversas imagens, seu programa de e-mail terá que baixar todas as imagens remotas usadas. Porém, você pode ter uma boa banda larga e isso gasta poucos segundos.

Em seguida vêm os ricos sérios.

Segundo, a quebra de privacidade. Quando seu programa leitor de e-mail (mesmo que seja um webmail) baixa uma imagem remota para exibir em uma mensagem, ele tem que acessar o servidor web onde a imagem está. Este acesso fica registrado. Ou seja, o servidor web “sabe” que você (seu computador) buscou a imagem naquele momento. Algumas empresas utilizam imagens (às vezes “invisíveis”, com tamanho zero ou transparentes) em malas diretas exatamente para controlar quantos, quando e quem recebeu as mensagens, com base no registro de imagens acessadas em seu servidor.

Por fim, o risco de segurança. Fraudes, spams e outras incursões maliciosas freqüentemente utilizam o mecanismo de inserção de imagens remotas na mensagem formatada para explorar alguma vulnerabilidade de segurança, de forma a exibir conteúdo impróprio, introduzir no computador destino um arquivo maléfico, abrir uma brecha para invasão ou outro dano qualquer.

A precaução e as facilidades

É por esses riscos que o Thunderbird e o GMail — e outras aplicações de e-mail que seguirem o bom exemplo — bloqueiam por padrão a exibição de imagens externas nas mensagens recebidas. É oferecida uma opção para Carregar/Exibir as imagens, que pode ser acionada pelo usuário caso ele realmente deseje.

Na ilustração seguinte, você vê parte de uma mensagem formatada recebida pelo Thunderbird. No alto, há um aviso informando que as imagens externas foram bloqueadas (ou seja, ainda não foram baixadas) e um botão com a opção “Carregar imagens”. Na mensagem, pode-se perceber os espaços reservados para as imagens, não exibidas. Se, após conferir remetente, assunto e conteúdo textual, quiser exibir as imagens nesta mensagem específica, pressione o botão.

Porém, existem casos em que você confia bastante no remetente, sabe que ele comumente envia mensagens formatadas contendo imagens e quer que elas sejam sempre exibidas, de forma automática, sem que você tenha que solicitar a exibição de imagens a cada mensagem recebida. Para estes casos, também existe uma opção.

No Thunderbird 2, é o link “Sempre carregar imagens externas de email-remetente”.

O Thunderbird armazena esta opção com uma das informações de um contato (remetente), no Catálogo de Endereços. Quando se escolhe o link e o remetente da mensagem em questão ainda não está no seu catálogo de endereços, abre-se uma janela de diálogo para adicioná-lo.

Nessa janela, note a opção “Permitir imagens externas em mensagens com formatação HTML” marcada. Pronto. Com esta opção marcada em um contato adicionado a seu catálogo de endereços, o Thunderbird passa a baixar e exibir automaticamente as imagens nas mensagens formatadas recebidas deste remetente.

Para saber mais:

Nota: uma mensagem do Submarino.com.br foi usada como exemplo nas ilustrações. A logomarca e o conteúdo ilustrativo exibidos são propriedade ou crédito do Submarino.