Mozilla Firefox rules

Fantástico! Nas estatísticas de acesso ao meu site em novembro/2006, das 42.774 visitas (sessões de usuário) registradas no mês, a distribuição por navegadores web foi assim:

  • 53,5% Internet Explorer
  • 40% Mozilla/Firefox
  • 1,5% Opera
  • 5% outros navegadores e robôs de pesquisa.

Me deixa impressionado e feliz o grande crescimento da participação dos navegadores da família Mozilla, especialmente o Firefox. Há um ano atrás, essa participação era praticamente a metade, pouco mais de 20%, enquanto Internet Explorer dominava quase 76% das visitas.

É bem verdade que boa parte do público do meu site tem um perfil mais técnico e/ou ligado a tecnologia, devido ao conteúdo aqui disponibilizado. Mas é sinal que as pessoas, em ritmo acelerado, estão descobrindo que a modernidade, segurança e flexibilidade do Firefox estão anos-luz à frente do Internet Explorer e estão migrando.

Interface simples e clara, navegação em abas, proteção contra fraudes, pesquisas a múltiplas fontes, RSS, suporte aos padrões e tecnologias mais modernos, suporte a diversos sistemas operacionais e idiomas, infinidade de recursos de personalização e extensão (opções, temas e plug-ins), controle total sobre opções e informações, incentivo ao software aberto e livre. São vantagens do Firefox.

Alguns desses recursos o Internet Explorer ainda vai começar a oferecer, na próxima versão 7 que por enquanto está em Beta. Quem deve ter mais fôlego, uma grande corporação como a Microsoft, ou “corpo e coração” de uma grande comunidade aberta, como o projeto mozilla.org?

Aproveito para desmentir um mito: Há quem fale que o Firefox “ainda não funciona com alguns sites”. Embora isso seja verdade, observe o seguinte: estes sites quase sempre são feitos em tecnologias ASP ou dotNET (aspx) da Microsoft e usam algum recurso proprietário que acaba só funcionando com o Internet Explorer. Mas sempre há um outro meio mais correto de se fazer as mesmas coisas, seguindo os padrões abertos mundiais do W3C e garantindo a compatibilidade com os diversos navegadores. Então, quem está errado é o site que está “na contramão”, e não o Firefox que segue os padrões. O correto é a regra, não a exceção. Nestes casos, você deve entrar em contato com os administradores do site e exigir correção do problema! No Firefox, pode usar também a opção de menu Ajuda » Reportar site como incompatível.

Mudar para o Mozilla Firefox é redescobrir a web e ter o controle!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *