Gerenciamento de Capacidade (capacity management) é um dos cinco componentes na área de Service Delivery do ITIL (V2) — Information Technology Infrastructure Library (conjunto de boas práticas em gerenciamento de serviços de TI). No ITIL V3, passou a ser organizado como um processo de Projeto/Desenho de Serviço (Service Design).

O trabalho deve ser de natureza proativa ao invés de reativa e responsável por garantir que as necessidades do negócio e definições de serviço sejam satisfeitas usando um mínimo de recursos computacionais.

Atividades de Gerenciamento de Capacidade incluem:

  • Monitoramento, análise, calibração e implementação de alterações necessárias em utilização de recursos.
  • Gerenciamento de demanda por recursos computacionais, o que requer compreensão das prioridades do negócio.
  • Modelagem para simular desempenho da infraestrutura e compreender as futuras necessidades de recursos.
  • Dimensionamento de aplicações para garantir que os níveis de serviço requeridos podem ser atingidos.
  • Gerenciamento da capacidade de armazenamento de dados.
  • Criação de um plano de capacidade (capacity plan) que documente a atual utilização de recursos e preveja necessidades, bem como custos de suporte, para novas aplicações e versões.
  • Construção do plano anual de crescimento da infraestrutura com subsídio de outras equipes.

Algumas referências básicas sobre o tema:

A empresa TeamQuest oferece, além de soluções para Gerenciamento de Capacidade ITIL, material informativo sobre Gerenciamento de Capacidade ITIL. Define inclusive um Modelo de Maturidade de TI em cinco estágios:

Nível 0: Caótico
Nível 1: Reativo
Nível 2: Proativo
Nível 3: Serviço
Nível 4: Valor

Best Management Practices – White Papers, parte do portal oficial da OGC sobre ITIL (e outros), traz bom conteúdo introdutório e correlações de ITIL com outros padrões, modelos e melhores práticas de governança.

Para saber mais: