Fusão de Itaú e Unibanco

O Itaú e o Unibanco anunciaram, nesta segunda-feira (03), a unificação de suas operações financeiras, para formar o maior banco privado do hemisfério sul e um dos vinte maiores do mundo.

De acordo com comunicado enviado ao mercado nesta manhã pelas duas companhias, negociações começaram há 15 meses, mas foram aceleradas pela chegada da crise financeira internacional ao Brasil, que tornou o crédito mais caro e escasso. Para os bancos, a compra do Real pelo Santander, fechada no ano passado, mudou os parâmetros de escala do setor financeiro brasileiro. O negócio deu ao Santander o fôlego necessário para disputar de igual para igual o mercado brasileiro com os principais bancos locais (Itaú, Bradesco e Banco do Brasil).

A associação contemplará uma reorganização societária que resultará na migração dos atuais acionistas do Unibanco mediante incorporação de ações para uma companhia aberta a ser denominada “Itaú Unibanco Holding”. O controle da nova instituição será compartilhado entre a Itaúsa e os controladores da Unibanco Holdings. A transação, no entanto, ainda depende de aprovação formal por parte do Banco Central.
Fonte: InfoMoney.

Em entrevista nesta manhã, os atuais presidentes dos bancos, Pedro Moreira Salles (Unibanco) e Roberto Setubal (Itaú), explicaram que um dos objetivos da fusão é criar uma instituição capaz de competir no mercado global. Afirmaram que o processo de internacionalização deve começar pela América Latina e citaram alguns alvos como México, Colômbia, Peru e Chile. O Itaú já possui agências em países do Mercosul, como Argentina, Uruguai e Chile. Também atua como private banking (banco voltado para pessoas de alta renda) em vários países da América Latina, Estados Unidos e Europa.
Fonte: Portal EXAMEDireto do Pregão.

Para os clientes destes bancos: Itaú e Unibanco, no comunicado da fusão, afirmaram que as operações e negócios realizados com clientes, credores e fornecedores, não sofrerão nenhuma alteração, e que a associação deverá oferecer mais vantagens aos clientes. Segundo os bancos, não haverá demissões nem fechamento de agências. “Nosso primeiro objetivo no sentido de materializar para os clientes uma melhoria é a integração da rede de caixas eletrônicos [do Itaú e do Unibanco]. A integração total vai demorar algum tempo”, afirmou Roberto Setubal.
Fonte: InfoMoney; G1 – Economia e Negócios.

Para os investidores em papéis destes bancos: Em resposta ao anúncio de integração entre Itaú (ITAU4) e Unibanco (UBBR11), a agência de classificação de risco Moody’s reafirmou, na noite desta segunda-feira (3), os ratings de ambas as instituições. A confirmação da nota veio acompanhada de comentários favoráveis em relação ao anúncio. Para a equipe de análise da Moody’s, a fusão relaciona claros benefícios de crédito e ganhos de sinergia para os bancos, que apresentam perfis de risco estáveis. A perspectiva para os ratings tanto de Unibanco quanto de Itaú é estável.
Fonte: InfoMoney.

A fusão foi notícia nos portais de economia e negócios do Brasil e na maior parte do mundo. No portal dos bancos, também há releases e informações: Itaú (hotsite), Unibanco, 03/11/2008.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *