Peru 2010 – Volta ao Cusco em um Boleto Turístico

Artigos da série:

  1. Peru 2010 – Lima.
  2. Peru 2010 – Cusco.
  3. Peru 2010 – Volta ao Cusco em um Boleto Turístico. [este]
  4. Peru 2010 – Machu Picchu.

O Boleto Turístico del Cusco integral do COSITUC dá direito a entrada em 16 atrações turísticas geridas pelo Instituto Nacional de Cultura (INC), Cusco, Peru, válido por um prazo de dez dias a partir da data de expedição.

Custou S/. 130 (130 novos soles) para turistas estrangeiros em geral, ou S/. 70 para estudantes com carteira de identificação. Peruanos tem tarifa promocional para turismo interno.

Info O boleto é individual e pode ser comprado na Oficina COSITUC na Avenida Sol nº 103, bem perto da Plaza de Armas, nas Galerias Turísticas da Municipalidad (Prefeitura) de Cusco, das 8h às 18h (fecha mais cedo, às 13h, aos domingos e feriados). Lá também você consegue (gratuito) um mapa turístico de Cusco e redondezas.

O pagamento deve ser feito em efectivo (notas de dinheiro) da moeda local. Na própria Avenida Sol em torno das Galerias Turisticas você encontrará bancos e caixas eletrônicos para saque (em Soles ou Dolar) e também uma profusão de lojas com casas de câmbio para trocar moeda estrangeira (pesquise a melhor cotação entre algumas lojas).

Cada atração no Boleto Turístico pode ser visitada uma vez. Na portaria de cada local, um fiscal faz um furo na posição correspondente do Boleto, indicando que a entrada daquela atração já foi utilizada. Relaciono a seguir as 16 atrações do Boleto Turístico COSITUC.

Uma casa de espetáculo de danças típicas:

  • Centro Qosqo de Arte Nativo

Quatro museus e um monumento:

  • Monumento Pachacuteq
  • Museo de Arte Popular
  • Museo Histórico Regional (Casa Garcilaso)
  • Museo Municipal de Arte Conteporáneo
  • Museo de Sitio del Qoricancha

E dez ruínas:

  • Pikillacta
  • Tipón
  • Saqsayhuaman
  • Q’enqo
  • Pukapukara
  • Tambomachay
  • Chinchero
  • Pisac
  • Ollantaytambo
  • Moray

Museus e atrações urbanas

Museu Em um dia inteiro pode-se ver todos os museus do boleto e, à noite, o show no Centro Qosqo. A maioria dos museus abre das 9h às 18h (8h às 13h aos domingos e feriados), exceto a Casa Garcilaso que funciona das 8h às 17h. Os museus ficam em localização bem central, de forma que dá para percorrer todos a pé.

O Museo Qoricancha fica no subsolo do gramado da Avenida Sol ao pé do Templo Coricancha / Convento de Santo Domingo. Recomendo visitar o tempo em si (entrada S/. 10) outro dia, no passeio City Tour, como verá mais adiante.

Monumento O Monumento Pachacuteq (9h às 19h, domingo de 8h às 18h) é o único que fica um pouco mais afastado, na via após a Avenida del Sol rumo ao aeroporto, mas também se chega a ele com uns 30 minutos de caminhada a partir da Plaza de Armas. A visitação ao monumento se dá por uma escadaria interna de nove andares, com uma mostra sobre os imperadores Inka em cada andar, até o mirante aberto no alto, junto à estátua.

O show no Centro Qosqo acontece todas as noites, começa às 18h30 e encerra em torno das 20h. Lá pelas 18h já costuma haver fila para quem quer garantir os lugares mais perto do palco, mas o teatro é relativamente amplo. No intervalo, pode-se visitar a sala de roupas típicas.

Em todos os museus, é proibido fotografar ou filmar as antiguidades em exposição, mesmo sem flash. Já o show de dança eu pude registrar à vontade.

Se fizer essa mini maratona turística em um dia, sugiro terminar a noite tranquilamente após o show de dança típicas, curtindo a gastronomia e a paisagem de um dos muitos cafés ou restaurantes em torno da Plaza de Armas, a maioria deles com balcão panorâmico no segundo andar.

Ruínas e passeios ao redor de Cusco

Ruína Das ruínas inclusas no boleto turístico, a única pre Inca é Piquillacta, sítio arqueológico da cidade antiga da Cultura Huari (ou Wari). As demais são do período do Império Inca (Imperio incaico).

Quatro passeios que podem ser comprados nas agências de viagem e turismo de Cusco lhe oferecerão transporte (ônibus ou van, dependendo do tamanho do grupo formado) e guia turístico (falando castellano e, alguns, também inglês; sem português) para visitar todas as ruínas do Boleto Turístico e mais algumas atrações não controladas pelo COSITUC, cuja entrada deve ser paga à parte no local.

Ônibus Os buses turísticos em geral saem da Plaza Cusipata, que fica a uma quadra da Plaza de Armas.

Eu comprei os quatro passeios da Puma’s Trek Perú, que fica no segundo andar da galeria Portal Comercio nº 141, uma das muitas portinhas no passeio de comércio da Plaza de Armas. Segui a indicação de uma amiga que já havia negociado o bom preço total de S/. 90 por pessoa (incluindo bufet de almoço em Urubamba, no Vale Sagrado), depois de muita pechincha.

  • City Tour (saída 13h50, retorno ~19h): apesar do nome, apenas o Coricancha (Templo del Sol) / Convento de Santo Domingo é dentro da cidade, visitado no início do tour. O belo templo Inca que, depois da dominação espanhola, teve um convento construído sobre sua estrutura, não é controlado pelo COSITUC e por isso a entrada deve ser paga à parte, S/. 10 por pessoa. As demais ruínas ficam ao longo de uma estrada ao Norte de Cusco, bem próximas à cidade, visitadas em sequência: a fortaleza cerimonial de Saqsayuaman (onde está a maior pedra usada em uma construção Inca), as cavernas de Q’enqo, Puca Pucara (Fortaleza Roja, um forte militar) e Tambomachay (Baños del Inca, local de descanso do chefe do Império Inca).

    Exibir mapa ampliado
  • Maras e Moray (saída 8h45, retorno ~17h): na estrada que passa por Chinchero, o tour parou em uma pequena localidade onde rendeiras demonstram como fiar, tingir e tecer as tecelagens artesanais típicas do Peru, com lã de llama e alpaca. Há também uma pequena feira de produtos artesanais no local. Moray, incluída no Boleto, é uma ruína Inca de plantações em terrazas circulares em nível. As Salineras de Maras, mantidas por uma cooperativa privada, entrada paga à parte S/. 5 por pessoa, fica a 58 km noroeste de Cusco e tem mais de 3 mil tanques onde se produz até hoje sal artesanal à moda Inca, para uso em gastronomia, sais de banho etc.

    Exibir mapa ampliado
  • Valle Sagrado (saída 8h45, retorno ~19h): o bufet de almoço na parada em Urubamba era opcional, mas optamos por comprar, por praticidade; a comida era razoável, e o bufet inclui pratos quentes, salada, chá e sobremesa, outras bebidas pagas à parte. Visita uma pequena feira turística e parte das enormes ruínas de Pisac, Ollantaytambo (na entrada das ruínas, há uma feira artesanal; algumas bolsas e mochilas estampadas só vimos lá) e, na volta, o distrito de Chinchero (há uma capela da época da dominação espanhola, algumas ruínas, além de uma feira e lojinhas de artesanato no caminho).
    (Imagem reproduzida de Tucano Perú.)
  • Zona Sur (saída 8h45, retorno ~15h): interessante mas pouco procurado pelos turistas, este passeio inclui Pikillacta, a única ruína pre Inca do Boleto, e Tipón, a bela ruína Inca de plantações (segundo nosso guia, plantas com finalidade medicinal), mais a Iglesia de San Pedro (Andahuaylillas), chamada a “Capela Sistina da América”, entrada à parte S/. 5 por pessoa, mas iniciou a restauração agora, de forma que retiraram a maioria das obras de arte e está cheia de andaimes.

Duas notas importantes sobre o tour do Valle Sagrado:

  1. Os dias apropriados para ir são domingo, terça ou quinta-feira, quando o Mercado Indio de Pisac está funcionando. Mas o tour me decepcionou, pois parou em uma feira turística que era apenas um semicírculo de bancas de venda. O Mercado Indio de Pisac mesmo é uma grande feira artesanal com tendas no centro da cidade, onde o tour não foi.
  2. Estação de trem Algumas pessoas preferem sair do tour em Ollantaytambo (sem a volta a Chinchero e Cusco), onde há uma estação de trem para Machu Picchu. Eu preferi tomar o trem em Cusco — na verdade, Poroy, a uns 40 minutos de carro de Cusco — para Machu Picchu, mas isso é tema para outro artigo.

Assim, em quatro dias de tours e um dia de passeio cultural por Cusco, você consegue completar todas as atrações do Boleto Turístico del Cusco. Com a validade de 10 dias, você ainda terá cinco dias para descansar, ter alguma folga no agendamento dos passeios turísticos, fazer compras, ou qualquer outra mudança de planos.

Para aproveitar a validade do Boleto Turístico ao máximo, recomendo comprá-lo na véspera, ou na própria manhã do primeiro dia de visitações, se for começar pelo City Tour (único tour que sai à tarde) ou pelos museus.

Vale ressaltar que, mesmo que você compre pacotes turísticos de transporte e guia em agências, é necessário comprar o Boleto Turístico oficial, direto do COSITUC.

3 Replies to “Peru 2010 – Volta ao Cusco em um Boleto Turístico”

  1. Ola gente, eu foi o ano pasado é Maravilloso, mas o que voce tem q tirar com tempo é o Passagem Perú
    não esqueça prequiçar si quizer dicas de hoteles tambem poderia pasar
    Beijo!
    natty

Deixe uma resposta