[Atualizado em 28 de janeiro de 2008 e 22 de agosto de 2009.]
[Em 2010, a Thomson passou a se chamar Technicolor.]

Roteador ADSL+ Thomson ST510v6 Recebi do meu provedor de acesso um “modem ADSL”, especificamente o roteador digital Ethernet/ADSL2+ SpeedTouch 510v6 da Thomson Multimídia (agora Technicolor), produzido no Brasil (exceto os cabos, Made in China).

A caixa vem com tudo o que pode ser necessário: o roteador (super compacto e leve), seu cabo/adaptador de alimentação elétrica, cabo telefônico DSL (com conectores “padrão americano” RJ11), cabo de rede Ethernet (com conectores RJ45), um adaptador de tomada telefônica padrão Telebrás (4 pinos chatos em quadrado) com saídas Telebrás e RJ11, dois micro filtros para pontos telefônicos ligados na linha do roteador ADSL, folheto do Guia de Instalação Rápida e CD-ROM de instalação.

De início, uma frustração: Coloquei o CD no computador e… nada. A unidade de CD/DVD sequer reconheceu a existência de algo lá dentro. Desisti após diversas tentativas frustadas. Parti para o “Plano B” de sempre: o Google. Logo de cara, vários links úteis:

E da primeira resposta do fórum Guia do Hardware, os links “definitivos”:

Descompactei o pacote baixado do Configurador para Windows, com os arquivos de instalação no disco. [Dica: para descompactar o pacote em formato RAR, você pode usar um utilitário gratuito/livre como 7-Zip para Windows.]

Abri a pasta criada, executei stInstall.exe, escolhi o idioma Português e um fácil assistente de instalação se iniciou. Detectou o roteador (que já estava devidamente conectado à rede ADSL e ao computador), informou que o aparelho já havia sido configurado antes, permitindo nova configuração.

Figura 1: Verificando o SpeedTouch, detecta o roteador conectado

Figura 2: Configuração do SpeedTouch, Sim, nova configuração

Escolhi nova configuração [Figura 2], selecionei o serviço como Roteador [Figura 3], VPI/VCI da minha companhia telefônica (conforme relação apresentada pelo próprio assistente) [Figura 4].

Figura 3: Serviço como Roteador

Figura 4: VPI/VCI de acordo com a Região da sua operadora

Em seguida, preenchi o nome de usuário e senha do meu provedor de acesso [Figura 5], defini usuário e senha para acesso à interface administativa do aparelho via web, aguardei as configurações serem aplicadas e pronto! O assistente concluiu com sucesso e já abriu no navegador a interface administativa, no endereço http://192.168.1.254/ (ou http://speedtouch.lan/, ou ainda o endereço IP alternativo 10.0.0.138), com o roteador já totalmente operacional!

Figura 5: Usuário e senha do seu provedor Internet banda larga

A interface administrativa é muito completa em recursos, porém simples e amigável, com opção de exibição em português. Na opção de Rede Doméstica, vi que o roteador ativou NAT e DHCP (atribuição automática de configurações de rede a cada computador conectado) e que meu computador havia ganho o IP 192.168.1.64 na rede interna (veja RFC 1918).

Figura 6: Interface administrativa web, em http://192.168.1.254/

Na Caixa de Ferramentas, o Firewall do equipamento vem inicialmente desativado, mas pode ser ligado com duas opções de nível de segurança (“Padrão” e “Bloqueia Tudo”). A Padrão, para permitir todas as conexões de saída e bloquear todo o tráfego de entrada, deve ser indicada para a maioria das pessoas.

O Firewall permite ainda facilmente liberar compartilhamento de jogos e aplicativos, com opção de UPnP (Universal Plug and Play) e muitos programas com a configuração pré-cadastrada, prontos para adicionar. Com isso, permitir o uso em rede de jogos como Counter Strike ou Unreal Tournment, ou liberar o compartilhamento de arquivos via BitTorrent ou eMule, por exemplo, é bem fácil. Primeiro, escolha a tarefa “Atribuir jogo ou aplicativo a um dispositivo de rede local” [Figura 7], disponível na opção Firewall e também no Compartilhamento de jogos e aplicativos, dentro do menu Caixa de ferramentas. Depois, basta selecionar cada aplicação desejada na extensa lista e escolher Adicionar.

Figura 7: Liberar portas para jogos e aplicativos

Na tela inicial, em Conexão de banda larga, ao selecionar Internet, há a opção de Verificar conectividade deste serviço. Em meu caso, o teste resulta em êxito para os tópicos DSL, ATM, Ethernet, PPP e IP. No teste de Internet, a conectividade com o Gateway retorna OK, mas como não foi possível validar contato com os Servidores de DNS (tradução de nomes de domínio), o teste falha, como se pode ver na [Figura 8]. Não conseguir testar contato com os servidores não significa, porém, que o serviço não vá funcionar. Se você acessar normalmente a Internet, é o que realmente importa.

Figura 8: Verificação de conectividade

Em resumo, a primeira impressão é de um ótimo roteador ADSL, com suporte a DSL até 25 Mb/s downstream e 1,5 Mb/s upstream, compatível com os padrões mais recentes ADSL, ADSL2 e ADSL2+, homologado pela Anatel. Gostei!

Eis outros links úteis contribuídos pelos leitores deste blog:

À parte: sobre firmware

No fórum do Guia do Hardware, que citei no início do artigo, e neste tópico do Baboo Fórum haviam links para atualizações de firmware (software interno do aparelho) do SpeedTouch. E encontrei outros links relacionados pesquisando na Internet.

Atenção! Atualização/alteração de firmware é uma operação delicada e arriscada, altera a característica original do aparelho, pode inutilizá-lo ou torná-lo inoperante se mal sucedida, e pode invalidar a garantia de fábrica se realizada sem autorização do suporte técnico. Mas se alguém mais ousado e com o devido conhecimento técnico quiser (por sua conta e risco!) fazer esse tipo de alteração, depois conte aqui como foi. Eis os links: