Logomarca do Google Chrome Cansado da eterna lentidão do Firefox ao iniciar, com a qual eu vinha convivendo há muito tempo, eu já tinha instalado e usava eventualmente o Google Chrome toda vez que eu estava com pressa (ou seja, com frequência).

Com o tempo, me familiarizei e gostei do Chrome, que inicializa rápido, instala e desinstala extensões sem precisar reiniciar o navegador, e é perfeitamente compatível com quase todos os sites. Além disso, o Chrome já vem com muitas ferramentas nativas poderosas voltadas para o desenvolvedor web.

Ideologicamente, o Mozilla Firefox é um software livre, enquanto o Google Chrome é um software proprietário gratuito mantido e distribuído pela empresa Google, embora baseado no projeto de software livre Chromium. Deixando ideologias de lado, desisti da lentidão do Firefox e agora tornei o Chrome meu navegador padrão.

Nem tudo é perfeito

O Chrome ainda tem sutis detalhes que me incomodam. Por exemplo, eu gostava da comodidade que consegui, por meio da extensão do Firefox Tab Mix Plus, de poder abrir páginas de favoritos ou histórico sempre em uma nova aba, clicando normalmente com o botão principal do mouse. No Chrome, para abrir em nova aba, só com o mecanismo padrão que é pressionar a tecla Ctrl ao clicar com o botão principal, ou utilizar o botão do meio no mouse (se houver). Não encontrei nenhuma extensão que permitisse o comportamento alternativo que eu desejava.

A impressão de página, embora ofereça a bem-vinda opção nativa de salvar em PDF, só recentemente passou a permitir imprimir plano de fundo (cores e imagens do background), configurar margens e inclusão de cabeçalho e rodapé. Mas ainda não permite configurar zoom nem as informações em cada parte do cabeçalho e rodapé. E para imprimir apenas um intervalo de páginas ou seleção, só pela caixa de diálogo imprimir do sistema, sem passar pelo Print Preview.

Além disso, ainda existem uns poucos sites que não funcionam perfeitamente no Chrome. Eu sei que em geral a culpa é de uso recursos errados ou fora do padrão HTML, CSS ou JavaScript do próprio site, mas ainda assim é um transtorno. No fundo, ainda existem também raros sites (em geral em ASP ou ASPX) que não funcionam bem nem no Chrome e nem no Firefox, só no Internet Explorer. Acho que é por coisas como essa que existem os que praguejam contra a Microsoft…

Espero que versões futuras do Chrome melhorem as deficiências remanescentes que apontei aqui.

Extensões

Navegador mudado, o próximo passo foi personalizá-lo com extensões. Como resultado disso, fiz uma profunda atualização na página que mantenho sobre extensões de navegador, antes uma lista só para Firefox, agora se tornou uma tabela com opções para Firefox e para Chrome.

Muitas extensões que eu indico estão disponíveis tanto para Firefox quanto para Chrome. Em outros casos, existem extensões distintas mas com funcionalidade e recursos equivalentes ou similares. Mas existem as que não encontrei até o momento correspondente no outro navegador.

Histórico de uso de navegadores web por StatCounter

Enfim

Com navegador e extensões, eu agora aumento a estatística de uso que já tornou o Google Chrome o navegador mais usado no mundo. Mas o Firefox continua instalado, agora como meu navegador secundário.