março 2007


Kaspersky Lab — renomada empresa russa especializada em ferramentas de segurança digital, como o excelente Kaspersky Antivírus, para proteção contra a pragas virtuais ou software malicioso (malware) — publicou hoje um artigo esclarecedor sobre os keyloggers. Keylogger é um programa gravador de digitação/mouse, usado para capturar dados introduzidos pelo usuário de um computador. Este tipo de programa pode ser usado para fins legítimos como monitoramento de segurança, mas na maioria das vezes é utilizado de forma maliciosa e mesmo criminosa.

Keyloggers representam grande ameaça aos usuários de Internet, sendo em geral proliferados por spam com mensagens fraudulentas (phishing scam). O objetivo dessas fraudes é instalar furtivamente programas keylogger, para capturar dados pessoais digitados pelos usuários, que são enviados para malfeitores pela Internet. No Brasil, fraudes utilizando keyloggers, visando roubar contas e senhas de bancos brasileiros daqueles que acessam bancos pela Internet, têm sido largamente aplicadas.

Em linguagem clara voltada ao entendimento do público geral, o texto apresenta os keyloggers, explica porque eles são uma ameaça, como os criminosos cibernéticos os utilizam, como eles se proliferam e como se proteger contra keyloggers.

O artigo conclui (tradução livre):

Atualmente, keyloggers — junto com técnicas de phishing e engenharia social — são um dos métodos de fraude cibernética mais utilizados. Empresas de segurança de TI têm registrado um firme crescimento no número de programas maliciosos que têm funcionalidade de gravação de digitação/mouse.

Hoje em dia só não tem e-mail (correio eletrônico) quem não quer. Há muitos anos já se popularizaram na Internet as mais variadas opções de e-mail gratuito.

Os primeiros e-mails gratuitos vieram com o advento do WebMail, usando apenas uma aplicação web para o acesso. A veiculação de propaganda no webmail viabilizava o retorno financeiro dos provedores para o serviço gratuito aos usuários. A maioria dos e-mails gratuitos atuais permite também o uso de programas clientes de e-mail comuns via POP.

Com o surgimento do GMail — o Google Mail — em abril de 2004, uma nova revolução foi introduzida na democratização do e-mail: ampo espaço. Enquanto os serviços gratuitos até então ofereciam poucos Megabytes de espaço máximo para o armazenamento de mensagens, o GMail inaugurou oferecendo 1 Gigabyte em seu e-mail gratuito, além de uma interface totalmente inovativa, rica em interação.

Com a estratégia agressiva de espaço da Google, que hoje já oferece 2,8 GB por conta de e-mail, outros provedores tiveram que reagir com grandes saltos no espaço oferecido. Atualmente gigantes globais como Yahoo Mail e MSN Hotmail, e até tupiniquins como BOL, oferecem 1 GB por conta gratuita.

Às vésperas do 10º aniversário do Yahoo Mail — que atualmente disponibiliza (ainda em Beta) uma ótima interface muito semelhante a programas de e-mail como Outlook ou Thunderbird — John Kremer, VP do Yahoo Mail, anunciou ontem em seu blog que o serviço oferecerá armazenamento ilimitado a partir de maio de 2007.

Especula-se alguma reação ao anúncio da Yahoo em breve pela Google, cujo revolucionário GMail completará 3 anos em 1º de abril próximo.

Fonte: Yahoo Mail Promises Unlimited Storage (em inglês), por Thomas Claburn, InformationWeek, 28 de março de 2007.

O Rodrigo Urubatan — desenvolvedor e arquiteto Java, líder do RS JUG e grande blogger — está publicando no seu blog uma série entitulada “Java on Rails” sobre produtividade em JEE.

As duas partes até agora são:

Recomendo a leitura.